Questão 27 Comentada CRC 2019.2

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Quer receber TODAS as novidades do Exame CFC 2020? Cadastre-se em nossa Lista de E-mails abaixo!

Deixo, a seguir, uma questão corrigida da Prova do Exame de Suficiência 2019.2.

Como todas as outras realizadas pela Consulplan, foi uma prova bastante complicada e diferente das demais, o que reforça a necessidade de se estudar com muita antecedência, já que não é possível estabelecer um parâmetro para o que cairá na próxima prova.

Lembre-se de que o índice de reprovação tem girado entre 60 e 70%.

Em média, de cada 100 candidatos, apenas 25 a 35 são aprovados.

Por isso, quanto mais você estudar e quanto antes você estudar será certamente MUITO melhor!

Em síntese: você tem que evoluir bastante e estar pronto para uma verdadeira batalha!

Por isso, o CFC De A a Z é um curso que veio para te ajudar.

Além desta prova comentada, há teoria, vídeos completos, simulados, acompanhamento completo, aulas inéditas, semana de revisão de véspera e muitas centenas de questões comentadas no curso, todas anteriores do Exame. Tudo isso por um preço que cabe no seu bolso.

Pode ter certeza de que, ao final, você estará muito melhor preparado para realizar a prova do que hoje!

Caso queira conhecer o nosso curso, basta clicar no botão abaixo.  Será um prazer ter você no nosso time.

Um grande abraço.

Prof. Gabriel Rabelo

Auditor Fiscal da SEFAZ RJ

Fundador do CFC De A a Z

Professor para Concursos e Exames há 10 anos

Questão

(Consulplan/Exame CFC/2019.2)

Levando em consideração o surgimento e o desenvolvimento das correntes de pensamento no campo contábil no século XX, o desenvolvimento contábil acompanhou o desenvolvimento econômico e ocorreu a queda da Escola Europeia (mais especificamente a italiana) e a ascensão da Escola Norte-Americana (IUDÍCIBUS, MARION, 2017). Um dos motivos para a queda da Escola Europeia (especificamente a italiana) foi o fato dessa corrente de pensamento:

A) Dar pouca importância à Auditoria.

B) Dar ênfase na Contabilidade Gerencial.

C) Estar direcionada para tomada de decisão.

D) Ser direcionada para o usuário da informação contábil.

Comentários:

A noção de conta surge juntamente do homo sapiens.

Primeiros sinais da existência da contabilidade = 2.000 anos Antes de Cristo.

Antes disso, porém, homem fazia inventário de rebanhos, ferramentas, etc.

Evolução foi lenta até o surgimento da moeda. Antes havia puramente troca de mercadorias, sem avaliação monetária.

Desenvolvimento nas cidades de Veneza, Genova, Florença, Pisa (Itália). Luca Paciolo escreveu o Tractatus de Computis Et Scripturis. Surge assim a escola italiana da Contabilidade. Século XV. Culto da “personalidade” na contabilidade. Trabalhos extremamente teóricos. Escola europeia preocupa-se demasiadamente em mostrar que a contabilidade é uma ciência, em vez de focar nos usuários. Excessiva ênfase na teoria das contas.

Surgimento da escola americana (influenciou Lei das SAs no Brasil).

Escola americana ganha força, em 1920, com o surgimento de grandes corporações (avanço e refinamento de instituições econômicas e sociais).

O investidor médio deseja estar melhor informado.

O Governo, universidades e institutos de contadores americanos empregam muitos recursos para pesquisas contábeis.

Além disso, há valorização da auditoria, como herança vinda dos ingleses, o que pouco ocorria na escola italiana.

Criação do Financial Accounting Standards Board (FASB).

Na escola Americana há preocupação maior com os usuários das demonstrações contábeis. Não há endeusamento da contabilidade no contexto da história da humanidade.

Algumas razões da queda da Escola Europeia (especificamente italiana):

– Excessivo culto à personalidade: grandes mestres e pensadores da contabilidade ganharam tanta notoriedade que passaram a ser vistos como “oráculos” da verdade contábil.

– Ênfase a uma contabilidade teórica: as mentes privilegiadas produziam trabalhos excessivamente teóricos, apenas pelo gosto de serem teóricos, difundindo-se ideias com pouca aplicação prática.

– Pouca importância à auditoria: principalmente na legislação italiana, o grau de confiabilidade e a importância da auditagem não eram enfatizados.

– Queda do nível das principais faculdades: principalmente as faculdades italianas, superpovoadas de alunos.

Algumas razões da ascensão da Escola Norte-americana:

– Ênfase ao usuário da informação contábil: a contabilidade é apresentada como algo últil para a tomada de decisões, evitando-se endeusar demasiadamente a Contabilidade; atender os usuários é o grande objetivo.

– Ênfase à contabilidade aplicada: principalmente à contabilidade gerencial. Ao contário dos europeus, não havia uma preocupação com a teoria das contas, ou querer provar que a contabilidade é uma ciência.

– Bastante importância à auditoria: como herança dos ingleses e transparência para os investidores das sociedades anônimas (e outros usuários) nos relatórios contábeis, a auditoria é muito enfatizada.

– Universidades em busca de qualidade: grandes quantias para as pesquisas no campo contábil, o professor em dedicação exclusiva, o aluno em período integral valorizaram o ensino nos Estados Unidos.

Gabarito: A

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.