Questão 25 Comentada: Exame CFC 2021.2

Olá! Tudo bem? Espero que sim.

Hoje, trago para vocês uma questão comentada do Exame de Suficiência 2021.2, um dos mais difíceis da história.

Como todas as outras realizadas pela Consulplan, foi uma prova bastante complicada e diferente das demais, o que reforça a necessidade de se estudar com muita antecedência, já que não é possível estabelecer um parâmetro para o que cairá na próxima prova.

Acredito que a taxa de reprovação fique em torno de 80%. Por isso, estudar de forma planejada e organizada é essencial.

Se quiser se juntar ao nosso time de milhares de alunos do CFC De A a Z, estamos com matrículas abertas!

E o que você encontrará lá, em nossa assinatura anual, por apenas 12 x R$ 49,90? Vídeos, livros digitais, mais de 30 horas de provas anteriores comentadas, simulados, fórum de dúvidas, grupo de alunos, semana de revisão de véspera, mapas mentais, planos de estudos e muito mais.

Então, vamos ao que interessa? A nossa questão!

Mas, antes, se você quiser, pode aproveitar e fazer o download gratuito da Prova 2021.2 Resolvida através do link abaixo.

Questão resolvida:

Considerando a legislação tributária vigente e a sua aplicabilidade conforme regulamentação, uma empresa que efetue gastos com: (a) aquisição de peças para reposição em maquinários de sua propriedade visando aumentar a vida útil dos mesmos em, pelo menos, dezesseis meses; (b) aquisição de peças para manutenção de itens do Ativo Imobilizado.

Considerando o disposto na NBC TG 27 – Ativo Imobilizado, a classificação correta dos referidos valores deve ser, respectivamente:

A) Imobilizado; Resultado.

B) Imobilizado; Imobilizado.

C) Ativo Não Circulante; Ativo Circulante.

D) Despesas Operacionais; Despesas Operacionais.

Comentários:

De acordo com o CPC 27, os gastos de capital, que são aqueles que acrescentam valor ao ativo imobilizado, devem ser computados como custo do ativo.

Enquanto que os gastos com manutenção periódica, que são aqueles para despesa rotineira, mais rápidas, por si só, devem ser reconhecidos no ativo imobilizado.

Entretanto, fizemos um recurso para essa questão, conforme explicamos.

O gabarito dado pela banca examinadora foi a letra a.

Contudo, solicitamos alteração para a letra c.

Quanto ao reconhecimento das peças para reposição como parte do ativo imobilizado, não restam dúvidas sobre a exatidão da questão.

A incorreção, salvo melhor juízo, paira em outro ponto.

A aquisição de peças para manutenção de itens do ativo imobilizado, enquanto não utilizada na manutenção, não devem ser reconhecidas no resultado, mas sim no ativo circulante.

Imagine-se que uma entidade compre peças para manutenção de um avião em novembro de 2020.

Todavia, a revisão será realizada apenas em janeiro de 2021. Seria um erro lançar estes valores na DRE de 2020, uma vez que a manutenção ainda não ocorreu.

Portanto, a aquisição de peças é algo distinto da manutenção propriamente dita, pelo que o gabarito deve ser alterado para a letra c: ativo não circulante e ativo circulante.

Gabarito da banca foi Letra A

Confira a resolução da questão em vídeo:

Marcadores

Deixe Seu Comentário

Artigos Relacionados

Quer receber questões e conteúdos diariamente no seu e-mail?

Cadastre-se gratuitamente na nossa lista de e-mails e fique por dentro de todas as novidades

Posts Relacionados

© 2021 CFC de A a Z. Todos os direitos reservados.