Questão 22 Comentada CRC 2019.2

Publicado por

Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Quer receber TODAS as novidades do Exame CFC 2020? Cadastre-se em nossa Lista de E-mails abaixo!

Deixo, a seguir, uma questão corrigida da Prova do Exame de Suficiência 2019.2.

Como todas as outras realizadas pela Consulplan, foi uma prova bastante complicada e diferente das demais, o que reforça a necessidade de se estudar com muita antecedência, já que não é possível estabelecer um parâmetro para o que cairá na próxima prova.

Lembre-se de que o índice de reprovação tem girado entre 60 e 70%.

Em média, de cada 100 candidatos, apenas 25 a 35 são aprovados.

Por isso, quanto mais você estudar e quanto antes você estudar será certamente MUITO melhor!

Em síntese: você tem que evoluir bastante e estar pronto para uma verdadeira batalha!

Por isso, o CFC De A a Z é um curso que veio para te ajudar.

Além desta prova comentada, há teoria, vídeos completos, simulados, acompanhamento completo, aulas inéditas, semana de revisão de véspera e muitas centenas de questões comentadas no curso, todas anteriores do Exame. Tudo isso por um preço que cabe no seu bolso.

Pode ter certeza de que, ao final, você estará muito melhor preparado para realizar a prova do que hoje!

Caso queira conhecer o nosso curso, basta clicar no botão abaixo.  Será um prazer ter você no nosso time.

Um grande abraço.

Prof. Gabriel Rabelo

Auditor Fiscal da SEFAZ RJ

Fundador do CFC De A a Z

Professor para Concursos e Exames há 10 anos

Questão

(Consulplan/Exame CFC/2019.2)

Atente-se às informações seguintes:

– A Companhia A controla 100% das Companhias B e D.

– A Companhia A tem participação acionária na Companhia C, mas sem exercer qualquer tipo de controle (individual ou em conjunto) ou influência significativa. A Companhia A mantém essa participação com o objetivo de receber dividendos e a venda futura das ações com valorização.

– A Companhia A está obrigada a apresentar demonstrações consolidadas em conformidade com a NBC TG 36 (R3).

Com base nas informações apresentadas e no que dispõe a Norma Brasileira de Contabilidade NBC TG 36 (R3) – Demonstrações Consolidadas, é correto afirmar que as demonstrações consolidadas apresentadas pela Companhia A:

A) Evidenciarão a posição financeira e os resultados das operações das Companhias A, B, C e D como se fossem uma única entidade.

B) Combinarão itens similares de ativos, passivos, patrimônio líquido, receitas, despesas e fluxos de caixa com os de suas investidas B e D.

C) Eliminarão integralmente ativos e passivos, patrimônio líquido, receitas, despesas e fluxos de caixa intragrupo relacionados a transações entre as Companhias A, B, C e D.

D) No que tange a transações similares e outros eventos em circunstâncias similares, serão elaboradas utilizando políticas contábeis uniformes àquelas utilizadas pelas Companhias B, C e D.

Comentários:

A Cia A controla B e D, portanto, trata-se de operação de controle e deverá ser feita a consolidação.

Como a Cia A tem participação em C, mas não exerce influência significativa ou controle, não há que se falar no Método da Equivalência Patrimonial. O investimento será avaliado pelo valor justo (CPC 48) ou valor de custo (Lei 6.404/76).

Portanto, a consolidação será feita entre A, B e D.

Nos termos do CPC 36:

B86. Demonstrações consolidadas devem:

(a) combinar itens similares de ativos, passivos, patrimônio líquido, receitas, despesas e fluxos de caixa da controladora com os de suas controladas;

(b) compensar (eliminar) o valor contábil do investimento da controladora em cada controlada e a parcela da controladora no patrimônio líquido de cada controlada (o Pronunciamento Técnico CPC 15 explica como contabilizar qualquer ágio correspondente);

(c) eliminar integralmente ativos e passivos, patrimônio líquido, receitas, despesas e fluxos de caixa intragrupo relacionados a transações entre entidades do grupo (resultados decorrentes de transações intragrupo que sejam reconhecidos em ativos, tais como estoques e ativos fixos, são eliminados integralmente). Os prejuízos intragrupo podem indicar uma redução no valor recuperável de ativos, que exige o seu reconhecimento nas demonstrações consolidadas. O Pronunciamento Técnico CPC 32 – Tributos sobre o Lucro se aplica a diferenças temporárias, que surgem da eliminação de lucros e prejuízos resultantes de transações intragrupo.

A) Evidenciarão a posição financeira e os resultados das operações das Companhias A, B, C e D como se fossem uma única entidade.

Errado! A cia C não fará parte do processo de consolidação.

B) Combinarão itens similares de ativos, passivos, patrimônio líquido, receitas, despesas e fluxos de caixa com os de suas investidas B e D.

Este é o nosso gabarito.

C) Eliminarão integralmente ativos e passivos, patrimônio líquido, receitas, despesas e fluxos de caixa intragrupo relacionados a transações entre as Companhias A, B, C e D.

Errado! A cia C não fará parte do processo de consolidação.

D) No que tange a transações similares e outros eventos em circunstâncias similares, serão elaboradas utilizando políticas contábeis uniformes àquelas utilizadas pelas Companhias B, C e D.

Errado! A cia C não fará parte do processo de consolidação.

Gabarito: B

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.